sábado, março 14, 2009

O inigualavel ministro da Administrçao Interna maçon

Para o ministro da Administação Interna o facto relevante de 2008 não é a criminalidade ter disparado exponencialmente (apesar de admitir que tal aconteceu, mal era...), mas antes que foi por causa da intervenção das forças policiais que este aumento desacelerou no segundo semestre de 2008 (!!!!!!!!!!!!!)

Ou seja, o Ministro prefere relegar para segundo plano a evidente falta de segurança dos cidadãos e o aumento dos crimes violentos e outros, e preferindo ao invés evidenciar o decréscimo da primeira derivada (em linguagem matemática) da criminalidade. Brilhante!

Deve estar à espera que o "Grande Arquitecto do Universo" faça o resto...

4 comentários:

Anónimo disse...

Se és crente e parece-me bem que sim não trates mal a maçonaria Carlos Martins.
Ela, como a Igreja, pode ter no seu seio gente que não presta o que não sei se será o caso do ministro.
Mas quando falares na maçonaria não lhe faltes ao respeito, lembra-te que por eles não vem o mal ao mundo ao contrário das religiões que são o cerne de todas as guerras e atrocidades que têm sido feitas até hoje.
Tem juízo homem. Fala de economia e finanças porque dizeres que 2+2 é igual a 4 toda a gente te entende.

BaD disse...

eu sabia q esta provocaçao iria suscitar alguma reacção :)

nao se preocupe, nao pretendo atacar a maçonaria como instituição, embora possa discordar dela em muitos aspectos. pretendo apenas realçar a má prestaçao do ministro. que pode ser iluminado, mas nao como ministro.

Anónimo disse...

Eu sei meu Caro que quando mandaste a "boca" foi para espicaçar alguma "alma perdida" que andasse por aí.
Por acaso ia a passar e olhei. Como gosto e respeito a Ordem maçónica e de quem a pratica com a alma,falei.
Os "mistérios" e os "segredos" que a Maçonaria encerra despertam curiosidade a todos nós.
Mas acredita que nada têm de transcendente.
Mas é interessante que ao contrário da maioria não estão muito preocupados com os mercados financeiros ou qualquer outro metal ou metais por muito que brilhem.
Apenas entrei e te falei em memória e honra daqueles que enquanto por cá andaram e Aveiro pode orgulhar-se de ter na sua história grandes e bons homens, punham acima de tudo o bem-estar físico e espiritual dos outros e esse humanismo está acima de qualquer dogma.
Cumprimentos

Fernando Alves disse...

O respeito que se possa ter pela maçonaria esbate-se quando ela não o merece.

Em Portugal a maçonaria não se tem preocupado com o tal "bem-estar físico e social dos outros" parece-me que se preocupa com o bem-estar próprio. pode ser só a impressão que passa para fora.. mas como se diz, a mulher de césar...